quarta-feira, 2 de março de 2011

Carta aberta de um torcedor brasileiro à TV Globo

À direção das Organizações Globo:

Sou Marcelo Freire, 26 anos, jornalista e corintiano. Posso ser considerado um torcedor brasileiro, daqueles que foram citados nesta quarta-feira (2/3) em um comunicado da Rede Globo. Esse texto explica, “em respeito ao torcedor”, os argumentos da emissora no imbróglio desta com o Clube dos 13 pelos direitos de transmissão referentes às edições de 2012, 2013 e 2014 do Campeonato Brasileiro de futebol.

Primeiro, agradeço que a emissora cite o torcedor brasileiro como “parte mais importante do Projeto Futebol”, como diz o último parágrafo do texto. Mas observo que, no restante do comunicado, nada mais me diz respeito.

Sinceramente, o fato de os clubes terem aumentando sua receita por causa do acordo anterior com a emissora, as condições do Clube dos 13 “que não atendem aos formatos de exposição do conteúdo” da Globo e “a desestruturação de um projeto complexo” por conta desse novo formato de concorrência estão completamente fora do meu leque de preocupações. Talvez tenham relevância para o Marcelo jornalista, mas não para o Marcelo torcedor.

E vocês sabem por quê? Porque para mim e para todos os torcedores com quem converso - o que me faz acreditar que uma boa parcela dos torcedores pensa assim -, o que incomoda é o maldito horário futebolístico inventado por vocês há alguns anos: 22h, às quartas e quintas-feiras.

Não sou um frequentador assíduo dos estádios mas, eventualmente, assisto a jogos do Corinthians no Pacaembu. E digo que é péssimo voltar para casa à meia-noite por inúmeras razões, sendo que a escassez do transporte público e o fato de que geralmente acordamos cedo no dia seguinte são as principais. Esse horário prejudica bastante os torcedores, principalmente os que são da Grande São Paulo e que, às vezes, demoram mais de uma hora para voltar para suas casas. Tenho certeza de que esse problema se repete em outras cidades do país, ainda mais aquelas que não tem um sistema público de transportes tão amplo quanto São Paulo.

Ainda relativo a esse problema, não entendo por que um jogo transmitido pelo canal por assinatura Sportv na quinta-feira - às vezes, restrito ao pay-per-view -, também se sujeite a esse horário horrível, porque a partida nem atrapalhará o horário da novela (sabemos que é esse o problema!). Peço bom senso, porque é ruim para todos - até para quem está em casa e precisa acordar, por exemplo, antes das 7h. Rotina comum a milhões de brasileiros, imagino.

Outro ponto: apesar de ser corintiano, me incomoda o fato de a Globo priorizar exclusivamente a audiência e deixar um pouco de lado a transmissão de jogos importantes de outros grandes clubes. Me lembro de quando a emissora alterou um jogo entre Corinthians e Bragantino, pela Série B do Brasileiro de 2008, para que ele pudesse ser transmitido na quarta-feira. Só que, no mesmo horário, Fluminense e LDU faziam o primeiro jogo da final da Copa Libertadores e ficaram relegados, em São Paulo, ao restrito Sportv. Apesar de o Fluminense não ser paulista, aquele era um jogo de interesse muito maior para os torcedores (até mesmo para corintianos menos fanáticos) do que a “pelada” válida pela segunda divisão do Brasileiro. Muita gente reclamou.

O esporte e os torcedores, nesses episódios, foram deixados de lado em detrimento de interesses exclusivos da Rede Globo. E esses interesses, no segundo caso, me parecem até controversos: será que um Corinthians x Bragantino pela Série B tem uma audiência tão maior assim do que uma final de Libertadores envolvendo o Fluminense?

Resolvidas essas questões, desejo boa sorte à emissora no acerto com os clubes, independentemente do envolvimento ou não do Clube dos 13. Espero apenas que a negociação seja justa e siga os termos definidos pelo Cade, órgão que existe, segundo ele próprio, para evitar "abusos de poder econômico" - como uma concorrência desleal.

Afinal, não tenho nada a reclamar da qualidade técnica da transmissão da Globo (talvez de alguns comentaristas, mas fica para outra carta), então posso dizer que o desfecho me deixará satisfeito caso o torcedor seja realmente respeitado - que é justamente o que a empresa brada no seu comunicado desta quarta-feira.

Atenciosamente,
Marcelo Freire

7 comentários:

Pedrada disse...

concordo com voce em praticamente tudo Tuvuca. O único porém, a meu ver, ao menos em megalópoles como São Paulo, é o maldito trânsito visto na cidade até pelo menos umas 21h. Pode ser coisa da minha cabeça, mas não duvido que muita gente não conseguiria ir aos estádios com tranquilidade em partidas às 20h ou 21h, por exemplo. Mas esse problema é menos importante do que os outros. Abraço!!!!

Ricardo Zanirato disse...

Tuvuca, vc é o cara! Essa briga dos direitos de transmissão é igual filme do Tarantino. Não tem mocinho! A Globo está aliada ao mafioso-mor, o Silvio Berlusconi brasileiro, Rico Terra. Do outro lado, Fabio Koff posa de mocinho e vai à casa do Juca falar cobras e largartos da máfia CBF/GLobo pq está louco para enfiar a mão no dizimo oferecido pelo Edir Macedo. Óbvio que o bispo pode pagar mais que a Globo, afinal, ele não paga imposto. É a grana de deus!
Eu torço para que a Globo e a CBF percam, entretanto sei que Record/C13 é tão nefasta qnto. Os presidentes que abandonaram o clube dos 13 e arriaram as calças para os mafiosos tradicionais da Paixão Nacional têm de ser culpados por seus torcedores se os clubes que dirigem começarem a definhar.

Marcelo Tuvuca disse...

Justamente pelo fato de não termos mocinhos nessa história, fera, o que importa mesmo para o torcedor é esse lixo de horário imposto pela Globo. De resto, vão atrás do poder, quebrando um a perna do outro.

A Record agora investiga a vida inteira do Sanchez, mas apenas porque ele tá com a Globo - que, por sua vez, já fez coisa parecida com o Ricardo Teixeira, hoje brotherzão.

E a vida anda... sempre com essas mesmas pessoas...

Abs e valeu aos dois aí pelos comentários

§ol apena§ §ol disse...

O mundo é capitalista meu caro...

Otávio Nébias disse...

Alimente este blog de uma vez. Cadê suas eternas preposições sem fundamento sobre assuntos quase aleatórios e sem importância social? Aliás, tremenda covardia de sua parte não aceitar, nunca, meus comentários. Já foste melhor.

Enfim, estou muito mais próximo do que imaginas. Espero (e irei) revê-lo em breve.
Como foi seu aniversário?

Saudações.

Marcelo Tuvuca disse...

Sem tempo para alimentar, caro conhecido que não tem coragem de se identificar. Meu aniversário foi ótimo, obrigado por perguntar.

Anônimo disse...

hahahahhahahahahahahhahahahahahhahahahahahahahhahahahahahahahhahahahahahaha
assume que essa foi boa!
um abraço do otávio nébias amaral de ataíde.